Poster Grande

Poster Geral

Dinastias Portuguesas

Brevemente.

Primeira Dinastia

Primeira Dinastia

Afonsina - 1143–1383

A dinastia Afonsina inicia-se em 1143, ano em que D. Afonso Henriques é reconhecido pelo rei de Leão e Castela como rei de Portugal e, ao mesmo tempo, o Condado Portucalense é reconhecido com um reino independente, tornando-se o reino de Portugal. O nome desta dinastia deve-se ao elevado número de monarcas com o nome Afonso. Em 1383, com a morte de D. Fernando, instala-se no nosso país uma crise dinástica, pois a sua única filha estava casada com o rei de Castela. Foi o fim da dinastia Afonsina.

Segunda Dinastia

Aviz - 1385–1580

Em 1385, D. João, filho bastardo de D. Pedro I, é aclamado rei, o que dá início à segunda dinastia. Ainda muito jovem, aos seis anos, D. João foi nomeado Mestre da Ordem de Avis, o que deu origem ao nome desta dinastia: dinastia de Avis. D. João I casa-se com D. Filipa de Lencastre. Deste casamento nascem três filhas e seis filhos, entre os quais, D. Duarte, D. Pedro e D. Henrique, a chamada Ínclita Geração. É nesta dinastia que se dá início à época dos Descobrimentos. Em 1578, D. Sebastião desaparece na batalha de Alcácer Quibir. Como era solteiro e não tinha filhos, o seu tio, o cardeal D. Henrique, sucede-lhe no trono. Dois anos depois, em 1580, D. Henrique morre sem sucessores, e Portugal perde a independência para o rei de Espanha, primo de D. Sebastião. Terminava assim a segunda dinastia.

Segunda Dinastia
Terceira Dinastia

Terceira Dinastia

Filipina - 1581–1640

Em 1581, Filipe II de Espanha torna-se rei de Portugal com o título «Filipe I de Portugal», dando início à dinastia Filipina. Durante sessenta anos, Portugal deixou de ser um reino independente e foi governado por reis espanhóis. A este período chama-se «Domínio Filipino», porque decorreu durante os reinados de Filipe II, Filipe III e Filipe IV de Espanha. Ao descontentamento do povo pelo domínio espanhol juntou-se o da nobreza e o da burguesia, o que culminou numa revolta da nobreza no dia 1 de dezembro de 1640, assinalando o fim da dinastia Filipina.

Quarta Dinastia

Bragança - 1640–1910

Depois de sessenta anos de governação espanhola, D. João IV, considerando-se legítimo herdeiro da Coroa portuguesa, conseguiu restaurar a independência de Portugal, o que deu início à quarta dinastia, a dinastia de Bragança. O nome desta dinastia deve-se ao facto de a Casa de Bragança se ter tornado, neste período, a Casa Real portuguesa. Esta dinastia foi marcada pelas Invasões Francesas e pela fuga da família real para o Brasil. A proclamação da República Portuguesa, em 5 de outubro de 1910, determinou o fim da dinastia de Bragança.

Quarta Dinastia