D. João I - O De Boa Memória

D. João I – O De Boa Memória

D. João I foi um rei escolhido pelo povo, que sempre o estimou. As boas recordações do seu reinado fizeram com que D. João I ficasse conhecido como o de Boa Memória. Vamos descobrir um pouco mais sobre a sua vida.

  • Com apenas seis anos, D. João I, o filho bastardo de D. Pedro I e de D. Teresa Lourenço, foi nomeado Mestre da Ordem de Avis. A Ordem de Avis era uma comunidade religiosa e militar, responsável pela educação de alguns filhos de famílias da alta nobreza. O seu responsável máximo chamava-se Mestre.

  • Com a morte de D. Fernando, em 1383, surgiu o problema da sucessão. A maior parte da nobreza apoiava a sua filha, D. Beatriz, casada com o rei de Castela. Por outro lado, a pequena nobreza, a burguesia e o povo apoiavam D. João, Mestre de Avis, por quererem manter a independência de Portugal.

  • Com a morte de D. Fernando, em 1383, surgiu o problema da sucessão. A maior parte da nobreza apoiava a sua filha, D. Beatriz, casada com o rei de Castela. Por outro lado, a pequena nobreza, a burguesia e o povo apoiavam D. João, Mestre de Avis, por quererem manter a independência de Portugal.

  • Em 1385, as Cortes reuniram-se em Coimbra para se decidir quem iria governar Portugal. Apesar de grande parte da nobreza estar contra, o Mestre de Avis passou a ser o rei de Portugal, com o nome de D. João I. As cortes eram reuniões realizadas para se resolverem problemas do país.

  • Algum tempo depois, o rei de Castela voltou a atacar Portugal com um exército muito maior do que o português. Para liderar as nossas tropas, D. João I convidou Nuno Álvares Pereira. Este militar utilizou a Tática do Quadrado, com que os portugueses venceram a Batalha de Aljubarrota. Esta tática militar foi o segredo para a derrota dos castelhanos. D. Nuno Álvares Pereira ordenou que se cavassem as chamadas covas de lobo, buracos disfarçados com folhas e ramos secos, no terreno que os castelhanos seriam obrigados a atravessar. Depois, dispôs as suas forças em três grupos. Um deles à retaguarda, comandado por D. João I. À frente, uma grande linha de soldados dava a sensação de que os portugueses estavam em vantagem. À esquerda encontrava-se a chamada ala dos namorados, protegida pela ala direita, que atirava flechas sobre o inimigo. Quando o exército castelhano viu avançar os soldados portugueses a pé julgaram que seria fácil derrotá-los. Qual não foi a surpresa quando as várias alas avançaram e os rodearam!

  • D. João I casou em 1387, na Sé Catedral do Porto, com D. Filipa de Lencastre. Deste casamento nasceram oito filhos, educados para serem pessoas notáveis, que ficaram conhecidos como a Ínclita Geração: entre eles, D. Duarte, que foi rei; D. Pedro, que promoveu a ciência, o comércio, as artes e a relação com outros países; D. Henrique, que ficou conhecido como o Navegador, por ter impulsionado as viagens marítimas que descobriram novas terras.